quinta-feira, outubro 09, 2008

Mulheres atraentes


Estou constantemente a ver na televisão e nos media, em geral, mensagens explícitas e implícitas acerca do corpo perfeito, atraente e saudável. Para vender um carro, um seguro ou qualquer outra coisa, associa-se a imagem de uma mulher, atraente, jovem, em posições corporais de índole sexual. Para vender uma revista de electrónica, enfia-se na capa uma mulher semi-nua, provocante. Assim, vende-se.

O que é para os homens ser uma mulher atraente? Ter uma cara bonita? Ter um corpo bonito, perfeito, com “curvas”?
Será que todas as culturas valorizam as mesmas características no corpo de uma mulher?
O corpo das modelos corresponde ao corpo perfeito?
Existe alguma coisa no nosso passado evolutivo que nos leva a valorizar o corpo das mulheres?

São muitas perguntas que estão, do meu ponto de vista, todas relacionadas.


Os standards de atractatibilidade corporal de uma mulher variam de cultura para cultura. Por exemplo, nas culturas em que o alimento é escasso um corpo mais gordinho mostra sinais de saúde e de nutrição, enquanto que nas sociedades em que o alimento é relativamente abundante a relação entre a gordura e o estatuto está invertida, sendo um corpo magro sinal de saúde.

A preferência em relação ao tamanho do corpo varia de cultura para cultura, mas existe uma preferência pela forma do corpo, que é única e universal e que tem a ver com a relação entre a medida da cintura e a medida das ancas.

Sabemos que antes da puberdade, rapazes e raparigas apresentam, uma distribuição semelhante da gordura corporal, mas na altura da puberdade acontecem mudanças drásticas nesta distribuição: os rapazes perdem a gordura das nádegas e das coxas enquanto que as raparigas ganham depósitos de gordura exactamente nas coxas e nas ancas, atingindo nessas zonas um volume 40% maior do que nos homens.


A razão entre a medida da cintura e a medida das ancas (vou abreviar para RCA) é semelhante em ambos os géneros, antes da puberdade, variando entre 0,85 e 0,95. Contudo, depois da puberdade o depósito da gordura nas coxas e nas ancas das raparigas faz com que a sua RCA se torne significativamente mais pequena em comparação com os homens. Assim, as mulheres com capacidade reprodutora apresentam uma RCA entre 0,67 e 0,80 enquanto que os homens mantêm uma RCA entre 0,85 e 0,95.


O que tem isto a ver com atracção?


Algumas experiências actuais mostram que os homens preferem as figuras femininas médias (nem gordas nem magras) mas, uma coisa é certa, independentemente de serem mais magras ou mais gordas, os homens acham as mulheres com baixa RCA, mais atraentes. As mulheres com uma RCA de 0,70 são consideradas mais atraentes que as que possuem uma RCA de 0,80, e estas, por sua vez, mais atraentes que as mulheres com uma RCA de 0,90.


Existe um estudo interessante que se debruçou na análise das mulheres fotografadas nas páginas centrais da revista Playboy e das vencedoras dos concursos de beleza nos E.U. a partir da década de 70 que confirma a regra da preferência dos homens por mulheres com uma RCA baixa. Apesar das mulheres terem vindo a se tornar mais magras, as suas RCAs mantêm-se exactamente as mesmas: 0,70. É a célebre “forma de violino”.


A investigação científica apresenta evidências abundantes que indicam constituir a RCA um indicador fiável do estatuto reprodutor de uma mulher. Por exemplo, as mulheres com uma RCA mais baixa apresentam uma actividade endócrina pubertária mais precoce e engravidam mais facilmente e as mulheres com uma RCA mais alta mostram uma maior dificuldade em engravidar e quando engravidam fazem-no com uma idade mais avançada em relação às mulheres com RCAs mais baixas. Além dissso a RCA constitui também um bom indicador da previsão a longo prazo da condição de saúde de uma mulher. Doenças como a diabetes, hipertensão, ataque cardíaco, trombose, doenças da bexiga, têm sido ligadas à distribuição da gordura corporal e não propriamente à sua quantidade total.


Sendo assim, a ligação entre a RCA e saúde e estatuto reprodutor, deve ter constituído uma pista forte e fiável para os homens ancestrais na “escolha” de uma parceira sexual, desenvolvendo-se, ao longo das gerações a preferência pelas mulheres que exibiam baixas RCAs. Os homens que falhassem esta avaliação, teriam menos filhos e, eventualmente, a sua linha genética, desapareceria.


Provavelmente esta foi uma das formas que a natureza achou para perpetuar a espécie: “inventar” a atracção sexual como forma anticipada de prazer sexual.


A propósito: a minha RCA é 0,76. Para 58 anos anos não está mal!


Consultas:
Singh, D. (1993). Adaptative significance of waist-to-hip ratio on judgments of women's
attractiveness. Journal of Personality and Social Psychology, 65, 293-307.
Singh, D., & Young, R. K. (1995). Body weight, waist-to-hip ratios, breasts and hips: Role in judgments of female attractiveness and desirability for relationships. Ethology and Sociobiology, 16, 483-507.
Fotografia retirada daqui

6 Comentários:

Blogger M&M disse...

Ora ai está uma deixa criativa para os homens: "Gosto muito do teu RCA..." No minimo ganhavam pela originalidade, visto que as "deixas" deles deixam sempre muito a desejar! Fiquei com vontade de medir a minha RCA!!

Beijinhos, mais um bom post!
(...onde será que tenho a minha fita métrica?)

09/10/2008, 21:26:00

 
Blogger montse disse...

Gracias por tus siempre amables comentarios en mi blog!!
Beijinhos desde Barcelona.

10/10/2008, 07:14:00

 
Anonymous a outra disse...

Fui modelo da "Vogue" tenho um corpo atraente e giro...e curvas nao me faltam... só mesmo nao sei como descobrir o (R C A)?
Será que é preciso!?
mas tenho curiosidade em saber.....

11/10/2008, 14:31:00

 
Blogger Concha disse...

A razão entre a medida da cintura e a medida das ancas:"RCA",é o que serve de musa inspiradora para:
- Homens,marketing e afins...
Como vamos medir a função simples da inteligência e da criatividade?
O "QI"e os cromossomas com mais potencial intelectual,já não interessam?
Adorei,é simplesmente original.
E,vou já medir a minha "RCA"!!!

19/10/2008, 12:27:00

 
Blogger eu disse...

Ao comentador anónimo que deixou um comentário sobre a impotência selectiva.

Por lapso apaguei o seu comentário, que apreciei muito. Peço desculpa pelo sucedido e gostaria que o voltasse a escrever. Pode ser?

Um abraço

19/10/2008, 16:08:00

 
Blogger Bichodeconta disse...

Estará a perfeição nas curvas e contra curvas da mulher?Serão as pessoas mais felizes por terem um corpo bomba?E o interior?O que está dentro de nós? A sensibilidade, o talento, a arte, a humanidade de cada um.. Troco mil corpos chamados giros por um só, desde que seja inteligente..
Este assunto não se esgota em tãp poucas palavras.. voltarei..

26/10/2008, 13:34:00

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial